Arquivo de Agosto 8, 2010

Dead Can Dance – Song of The Stars

Posted in Crenças Tradicionais Européias, Espiritualidade, Músicas on Agosto 8, 2010 by lapicta

Song of The Stars

We are the stars which sing
We sing with our light;
We are the birds of fire,
We fly over the sky.
Our light is a voice;
We make a road for the spirit to pass over
We are like the wind,
Wrapped, in luminous wings,
We make a road for the spirits to pass over.
For the Spirits to pass over.
{algonquian indian}
Outò, ba mwen son ou,e,
Outò, ba mwen son ou,e,
Tanbouyè, o ba mwen son ou,
Solèy lève.
Outò, give me your sound,
Outò, give me your sound,
Drummer, give me your sound,
The sun rises.
{vodun invocation-haiti}

Som das Estrelas

Nós somos as estrelas que cantam
Nós cantamos com nossa luz
Nós somos os pássaros de fogo
Nós voamos pelo céu
Nossa luz é uma voz
Nós fazemos uma estrada para que o espírito passe
Para que o espírito passe
Nós somos como o vento
Embrulhado em asas luminosas
Nós fazemos uma estrada para que o espírito passe
Para que o espírito passe
{Dialeto indiano}
Outò, me dê o seu som
Outò, me dê o seu som
Bateriste, me dê o seu som
O sol levanta…
{Invocação Voodu}

Um sinal de vida

Posted in dia_a_dia, Músicas, Reflexões on Agosto 8, 2010 by lapicta

Pois é…não morri. O bom filho à casa torna! risos…

O que acontece é que estou numa frenética rotina, correndo tanto que os dias parecem virar horas às vezes.

Estou adorando as “correrias” todas…mas sempre lembro aqui do meu cantinho.

Resolvi dar uma revirtualizada em Perfis Sociais e tudo! rs

Tem sido um período bom, de bastante trabalho, de reencontros muito legais e de novas experiências a dar com pau.

Novas pessoas, novos prismas, novas culturas tb…exatamente tudo o que gosto.

A real é que qualquer rotina me faz enfadonha…fico muito incomodada com estagnação e mais ainda com gente estagnada. Eu, como boa filha de saturno, sei bem o qto “o tempo voa e escorre pelas mãos” e sempre trato de chutar qualquer mesa que estiver na minha frente bem pra cima e seguir avançando (claro que, por mais que pareça repentino para alguns, para mim sempre foi bem mensurado e filosofado).

Seja subindo e descendo montanhas, eu nunca fico em baixo de “cajados” de terceiros ou sendo “tocada” como boi de manada…meu espírito é livre, minha língua é navalha e eu corto, saio do script, empino feito cavalo.

Não sei se vou voltar a ficar um tempo sumida…mas vira e mexe estou de volta por aqui.

Para celebrar, a canção do Lulu que fala bem do momento.

%d bloggers like this: